sexta-feira, 30 de setembro de 2011

VARAL NAS ALTURAS


“Pouco importa o julgamento dos outros.
Os seres são tão contraditórios
que é impossível atender às suas demandas,
satisfazê-los.
Tenha em mente simplesmente
ser autêntico e verdadeiro...
Dalai Lama

Colaboração: Cpkirst/Carlão

PESQUISA CNI-IBOPE: DILMA

“Com apenas nove meses, o governo Dilma Rousseff já tem uma marca, adquirida há pouco tempo, a da “faxina” contra a corrupção.
Isso fez com que a avaliação de seu governo crescesse para 51% em setembro ante os 48% registrados na pesquisa anterior, em julho, realizada pela Confederação Nacional das Indústrias (CNI), divulgada nesta sexta-feira 30.
A aprovação da presidente da República também cresceu em setembro (71%) na comparação com julho (67%). Sobre a confiança na maneira como ela vem governando o País, saiu dos 65% e alcança agora os 68%.
Outro dado trazido pelo estudo mostra o elevado crescimento da avaliação positiva do governo na região sul que em julho eram 45% e agora 57% consideram a administração de Dilma “ótima” ou “boa”.
Em contraposição, houve declínio na avaliação positiva no norte/centro-oeste e no nordeste, com 43% (fora de 45% em julho) e 50% (contra 52% na pesquisa anterior), respectivamente.

TRILHA SONORA


EM TEMPO DE ROCK IN RIO...

QUEM ESPERA SEMPRE ALCANÇA?


Há um bom tempo venho convivendo com minhas dores.
Então, um belo dia de chuva sai arrastando meu esqueleto até o hospital. Precisava fazer um daqueles exames suspeitos de fotografar a intimidade da gente: os ossos e suas calcificações. Sentei e esperei.
Eu não me importo de esperar desde que tenha algo para ler.
Mas naquela tarde havia esquecido o meu “Liberdade” - presente dos queridos Celso e Miriam. Então, continuei sentada e tentando lembrar de uns exercícios de relaxamento de Yoga. Meditava que o mundo é dos humildes e das criaturas pacientes. Mas, em vão. Acabei tendo uma taquicardia raivosa sem nada para ocupar meus olhos e mente. A menina gentil da recepção disse que o povo leva embora as revistas contaminadas da sala de espera. Engoli em seco: até eu já fiz isso sem me preocupar com as bactérias e afins. Mas devolvo, viu?

Volto minha atenção para as pessoas  silenciosas ao redor.
Um homem de Cruzeiro do Sul  precisa pagar 100 reais por um exame e não tem dinheiro. A moça no balcão nega, por telefone, um exame no postinho de saúde.
Uma senhora geme e suspira ao meu lado. Com certeza a consulta dela é prioritária. O que é uma dor de cotovelo perto de uma dor de pedra nos rins?

De repente descobri umas revistas sem capa num cantinho nos fundo da sala.
Gastas, com jeito de uso adolescente, se é que me entendem. Uma IssoÉ  desfalcada, de setembro de 2008. Um atraso de apenas três anos. Mas no desespero, vale.


Então leio sobre o leilão de uma fatia do bolo de casamento de Ladi Di  por 1,8 mil no Reino Unido. O pedaço tinha 23 cm e sua “dona”, a faxineira da residência real há 27 anos, mostrava o troféu intacto, com o brasão da família de Buckingham. Será que chantilly não azeda com o tempo?

Na outra pagina vejo a fotografia do sambista Nelson Sargento bebendo água em vez de cerveja: “Esse é o começo do fim da malandragem”. Hoje deve ter 87 anos e continua bem vivinho. Uma reportagem sobre o bullying e os crimes cometidos nas escolas. Nada de novo. 

Outra matéria sobre a moda vintage: “não basta ser antigo, tem que ter representatividade histórica.” Ou seja, se o vestido de sua vó não badalou no dia da inauguração do mausoléu dos Vargas, ele apenas é mais um vestido, entendeu? Eu não tenho nada parecido em casa, a menos que o carnaval de 1968 no Clube Recreativo de Lajeado signifique alguma coisa: guardo a fantasia da minha mãe,  um tubinho com estampas à la Mondrian. Mudérrrrno.

Aos poucos a sala no hospital vai se esvaziando e continuo sentada, esperando, esperando... Lembrei de Sêneca: “enquanto se espera viver, a vida passa”.
Sim, passa o trem, o cavalo encilhado, a kombi do verdureiro, passa a minha vontade de continuar naquela sala aguardando a minha vez de ser atendida. Volto com meu esqueleto para casa. Afinal, o que é mesmo uma epicondilite perto de uma orquite?


 * crônica Jornal A Hora, de Lajeado;  Opinião, de Encantado e http://www.regiaodosvales.com.br

TRISTE HUMOR

DIANA CORSO - MEMÓRIAS...

ZH 28/9
... DE UM TEMPO NÃO TÃO DISTANTE

CASE "FESTA À FANTASIA"

Galera de Porto Alegre em 2000
“Em 1991 fazíamos contato por telefone para convidar nossos amigos, esta era a única maneira que tínhamos de atrair as pessoas. Com o rádio, televisão e hoje, as mídias sociais, tudo mudou” – destacou Daniel Kappler, organizador da Festa à Fantasia junto com Giuliano Orlandini.
O sucesso da festa temática pode ser compreendido através de números. O público presente na primeira edição, realizada em 1991, foi de 250 pessoas. 
A última festa, ocorrida no dia 10 deste mês, contou com a participação de sete mil foliões.
O evento ganhou fama e se espalhou pelo Estado inteiro. De acordo com Kappler, 70% dos festeiros da última edição são de outras regiões do RS, de cidades como Santa Maria, Caxias do Sul e Porto Alegre.

AGENDA


Exposição Tudo no Papel
De Alessandro Cenci, 1º de outubro, sábado, no campus da Univates em Encantado: colagens, desenhos e monotipia.

1º Floreio de Gaitas
Encerramento da Semana Farroupilha no dia 02 de outubro, domingo, no Parque Professor Theobaldo Dick, às 8 horas e encerramento às 17h30min, com a apresentação do grupo Os Bertussi.



Duo Íris & Ivan Violinistas
Dia 9 de outubro, domingo, às 20h, no Centro de Cultura e Turismo Bertholdo Gausmann, recital de música erudita, dentro do Projeto Domingo Clássico.

“Os Saltimbancos”
Com os oficineiros de teatro de Liza Delfino, da Secretaria de Cultura e Turismo, no dia 11 de outubro, 3ªf, na Escola Estadual Castelo Branco, às 15h.

quinta-feira, 29 de setembro de 2011

VARAL DE ANTIGAMENTE


Photo by Cecília Bianciardi

“O oposto de uma verdade profunda
não é um erro,
mas outra verdade profunda.”

Niels Bohr
físico dinamarquês

CONCURSO LITERÁRIO ALIVAT: VENCEDORES




Foi divulgado ontem o resultado do 3º Concurso Literário da Alivat, que conta com o apoio da Prefeitura de Lajeado.
O concurso recebeu 116 textos de 40 autores provenientes de várias cidades da região.

Na reunião, o presidente da academia, Deolí Graff destacou a  significativa participação, que superou as edições anteriores e lembrou que o prêmio dos vencedores será a publicação em livro, junto aos textos originais de alguns escritores que integram a Alivat.

O lançamento do livro será realizado em data a ser definida.

Resultado do concurso

CONTO
1º Lugar – Lembranças – Adriano Anschau - Lajeado
2º Lugar – Bilhete de Bobby – Jeferson Henrique Rodrigues – Lajeado

Menção Honrosa
A  Ameaça – João Roque Scherer – Lajeado

CRONICA
1º Lugar - Marcas do Primeiro Dia – Janice Schmidt – Cruzeiro do Sul
2º Lugar - Espera um Pouco Mais – Cristiane Lautert Soares - Taquari

Menção Honrosa
Pés descalços – Adilar Signori – Roca Sales
Corina – Iara Ghilardi Breitenbach - Lajeado

CRONICA HISTÓRICA
1º Lugar - Viagem ao passado de Vila Progresso – Leandro Lampert - Lajeado
2º Lugar - Rio Taquari – Luis Fernando Radaelli – Lajeado

POESIA
1º Lugar - João de Barro – Rosane Piccinini – Roca Sales
2º Lugar - Amor – Rivail de Oliveira Teixeira - Lajeado

Menção Honrosa
Flagrantes recortados – Alessandra Ames – Arroio do Meio
Acalanto – Romeu Sandro dos Santos – Pouso Novo

BIBLIOTECA ABERTA AO POVO


A Biblioteca Pública de Estrela reabriu nesta quarta-feira ao público, após um mês do processo de mudança para o segundo andar do antigo complexo da Ambev, na rua Pinheiro Machado.
O novo espaço é convidativo a leitura, bem iluminado, tem área total de 393,81m2, é amplo e acomoda o acervo que hoje é de 22.866 livros. 
de possuir sala para estudo com um computador com acesso à internet, possui sala especial para crianças com literatura do gênero.
A prefeitura investiu R$ 64.801,19 na reforma e adequação do espaço, como na troca de vidros da fachada, reforma de sanitários, instalação elétrica e hidráulica nova, reforma do piso e pintura.
O horário de funcionamento do espaço é das 8h às 17h, sem fechar ao meio dia.
Fonte: http://wp.clicrbs.com.br/lajeado/?topo=77,1,1#panel-4

TRILHA SONORA


20 anos sem Miles Davis
26 de maio de 1926 - 28 de setembro de 1991

Colaboração: Vicente Breyer

ARTESESC CULTURA POR TODA PARTE



O Grupo Teatral Faz de Conta de Lajeado
apresenta
SUMMER NIGHT

Direção
Cristiane Schneider

“Em meados dos anos 60 uma menina chamada Sandy muda-se de cidade. Em sua primeira noite nessa nova cidade, ela vai a um baile e conhece Tony, o garoto mais popular da escola. Os dois se apaixonam, porém Annie, que também gosta de Tony, fará tudo para que este romance não aconteça. E é em clima de festa e suspense que essa trama se desenvolve. Vamos ver o que acontece?”

Sexta-feira, 30
20h
Teatro do SESC

Ingressos
3 e 5 pila

Apoio:  Rádio Light FM – 91.7 e Jornal A Hora dos Vales.

CIRCULANDO PELA REDE: DESABAFO

Lajeado-Arquivo Born - 1963

Na fila do supermercado, o caixa diz uma senhora idosa:
- A senhora deveria trazer suas próprias sacolas para as compras, uma vez que sacos de plástico não são amigáveis ao meio ambiente.

A senhora pediu desculpas e disse:
- Não havia essa onda verde no meu tempo.

O empregado respondeu:
- Esse é exatamente o nosso problema hoje, minha senhora. Sua geração não se preocupou o suficiente com nosso meio ambiente.

- Você está certo - responde a velha senhora - nossa geração não se preocupou adequadamente com o meio ambiente. 

Naquela época, as garrafas de leite, garrafas de refrigerante e cerveja eram devolvidos à loja. A loja mandava de volta para a fábrica, onde eram lavadas e esterilizadas antes de cada reuso, e eles, os fabricantes de bebidas, usavam as garrafas, umas tantas outras vezes.

Realmente não nos preocupamos com o meio ambiente no nosso tempo.
Subíamos as escadas, porque não havia escadas rolantes nas lojas e nos escritórios. Caminhamos até o comércio, ao invés de usar o nosso carro de 300 cavalos de potência a cada vez que precisamos ir a dois quarteirões.

Mas você está certo. Nós não nos preocupávamos com o meio ambiente. Até então, as fraldas de bebês eram lavadas, porque não havia fraldas descartáveis. Roupas secas: a secagem era feita por nós mesmos, não nestas máquinas bamboleantes de 220 volts. A energia solar e eólica é que realmente secavam nossas roupas. Os meninos pequenos usavam as roupas que tinham sido de seus irmãos mais velhos, e não roupas sempre novas.


Mas é verdade: não havia preocupação com o meio ambiente, naqueles dias.
Naquela época só tínhamos somente uma TV ou rádio em casa, e não uma TV em cada quarto. E a TV tinha uma tela do tamanho de um lenço, não um telão do tamanho de um estádio; que depois será descartado como?

Na cozinha, tínhamos que bater tudo com as mãos porque não havia máquinas elétricas, que fazem tudo por nós. Quando embalávamos algo um pouco frágil para o correio, usamos jornal amassado para protegê-lo, não plástico bolha ou pellets de plástico que duram cinco séculos para começar a degradar. 
 Lajeado-Arquivo Born - 1963
Naqueles tempos não se usava um motor a gasolina apenas para cortar a grama, era utilizado um cortador de grama que exigia músculos. O exercício era extraordinário, e não precisava ir a uma academia e usar esteiras que também funcionam a eletricidade.

Mas você tem razão: não havia naquela época preocupação com o meio ambiente.
Bebíamos diretamente da fonte, quando estávamos com sede, em vez de usar copos plásticos e garrafas pet que agora lotam os oceanos. Canetas: recarregávamos com tinta umas tantas vezes ao invés de comprar uma outra. Abandonamos as navalhas, ao invés de jogar fora todos os aparelhos 'descartáveis' e poluentes só porque a lámina ficou sem corte.



Na verdade, tivemos uma onda verde naquela época.
Naqueles dias, as pessoas tomavam o bonde ou ônibus e os meninos iam em suas bicicletas ou a pé para a escola, ao invés de usar a mãe como um serviço de táxi 24 horas. Tínhamos só  uma tomada em cada quarto, e não um quadro de tomadas em cada parede para alimentar uma dúzia de aparelhos. E nós não precisávamos de um GPS para receber sinais de satélites a milhas de distância no espaço, só para encontrar a pizzaria mais próxima.

Então, não é risível que a atual geração fale tanto em meio ambiente, mas não quer abrir mão de nada e não pensa em viver um pouco como na minha época?


Colaboração: Anelise Vier Behs

JUSTIÇA ONDE?

(Clique em cima para ampliar)
A impotência frente a Justiça neste país? Ou  em relação a criminalidade?
O desespero, a dor e a revolta de um pai escancarados na ZH de hoje.

PATRONA DA 57ª FEIRA DO LIVRO DE PORTO ALEGRE


 “Mulheres, cheguei!” Com esta frase vitoriosa e bem humorada a escritora Jane Tutikian recebeu o anúncio de seu nome como Patrona da 57ª Feira do Livro de Porto Alegre.


O patrono da 56ª Feira do Livro de Porto Alegre, Paixão Côrtes, e os antecessores Alcy Cheiuche (52ª) e Walter Galvani (49ª) participaram do momento solene da revelação.


O presidente da Câmara Rio-Grandense do Livro (CRL), João Carneiro, retirou o envelope e avisou: “A Feira do Livro deste ano não tem Patrono”. 


A plateia, composta por representantes da CRL, autoridades, imprensa e convidados, fixou os olhos na única mulher posicionada entre os outros três patronáveis, Luiz Coronel, Airton Ortiz e Celso Gutfreind.


Emocionada, a professora de Literatura que há três décadas se dedica aos livros, declarou:


“Escrever é uma boa forma de estar entre as pessoas. E não tem forma melhor ainda de estar entre as pessoas do que na Feira do Livro, na ‘feira do povo’.”


“ISSO NÃO É CARIDADE, É TRABALHO!”


Assim a estilista Vivienne Westwood define seu mais novo projeto em parceria com o International Trade Centre:  Ethical Fashion Programme, que a partir de agora ajuda mais de 7 mil mulheres africanas a se tornarem independentes, ganhar seu próprio dinheiro e ter como pagar pelo estudo de seus filhos.

O projeto também tem como objetivo treinar essas pessoas e fazer com que elas abram seus próprios negócios, gerando emprego pra mais pessoas de sua comunidade.

Junto com Juergen Teller, Vivienne viajou pessoalmente para a África, onde fotografou a campanha de inverno 2012 com o povo de Nairobi.

DA SERIE "FUMAR REJUVENESCE..."

quarta-feira, 28 de setembro de 2011

VARAL DE GASPAR DE JESUS


LEI Nº 9.519, DE 21 DE JANEIRO DE 1992.

Institui o Código Florestal do Estado do Rio Grande do Sul e dá outras providências.

Art. 36 - Qualquer árvore poderá ser declarada imune de corte por ato do Poder Público, ouvido o órgão florestal competente, por motivo de sua localização, raridade, beleza, importância científica ou interesse cultural ou histórico.

EXERCÍCIOS DE SOLIDÃO

TEATRO, MUSICA E POESIA
Estamos ensaiando. 
Aguardem.

EM TEMPO DE BAILE DE DEBUTANTES...

Baile de Debutantes no Clube Recreativo, depois CTC.
(Do feicibuki/ clique em cima para ampliar)

FEIRA DO LIVRO EM MARQUES DE SOUZA



A prefeitura de Marques de Souza realiza na próxima sexta-feira e no sábado a terceira edição da Feira do Livro e Mostra de Trabalhos no município.
O evento ocorre nas dependências da União Centenária, no Centro, com variada programação ao longo dos turnos manhã, tarde e, inclusive, na noite de sexta-feira.
Para o secretário de Educação, Cultura, Turismo e Desporto, Jurandir Brenner, o evento é, acima de tudo, um grande incentivo à prática da leitura, além de uma aproximação dos estudantes com o mundo literário. 

Como destaque nesta edição, o secretário salienta a participação de escritores e integrantes da Academia Literária do Vale do Taquari (Alivat):

- Optamos por trazer para os nossos alunos e comunidade, escritores daqui do Vale. É uma maneira de mostrar que escritores não são somente pessoas distantes, mas que temos profissionais e talentos literários também aqui em nosso meio – salienta.
Na íntegra: http://wp.clicrbs.com.br/lajeado

DA SERIE "FUMAR REJUVENESCE..."

Terrível...

OS 10 DESTINOS NACIONAIS...



Praia do Mutá em Porto Seguro

... mais procurados pelos brasileiros na hora de tirar férias, conforme pesquisa de uma agencia de turismo nacional: 

Porto Seguro 
Maceió 
Fortaleza 
Natal 
Gramado 
Rio de Janeiro 
Florianópolis 
Balneário Camboriú 
Foz do Iguaçu 
Caldas Novas

MERVAL, O IMORTAL


“Bem, eis a Pataquada da Semana.
Merval Pereira, jornalista, virou imortal. Lol.
Vou em busca de explicações.
Ele deve ter escrito algum livro importante que não notei.
Ou alguns, penso numa perspectiva mais otimista.
Pesquiso.
Mas.
Ele é autor de “O lulismo no poder”,  uma coletânea de seus artigos no Globo. Quer dizer, não bastasse o leitor ser castigado por Merval uma vez na forma de jornal, ele apanha de novo na forma de livro.
Merval é, basicamente, contra tudo que Lula fez, do Bolsa Família às cotas universitárias. (...)

Ao lado de Ali Kamel, ele é um dos mais fiéis reprodutores do ideário da família Marinho.
(Esperemos para ver se Kamel não vira futuramente um imortal.)

Numa carta célebre a um editor, o barão da imprensa Joseph Pulitzer disse o seguinte:  
“Espero que você pense, pense, pense!!! (…)  Que compreenda que todo editor depende do proprietário, é controlado pelo proprietário, deve veicular os desejos e as idéias do proprietário. (…) Sua função é pensar, o mais próximo possível, no que você pensa que eu penso.”

Merval – e nem Kamel – teriam que ouvir isso.
Lembro que, nas reuniões do Conselho Editorial da Globo das quais participei entre 2006 e 2008, os dois pareciam disputar entre si quem era campeão em pensar como a família Marinho pensa.

Na cerimônia de posse de Merval, Machado de Assis, fundador da ABL, foi lembrado e de certa forma comparado ao novo imortal. Porque trabalhou como jornalista num certo período.
Esperemos então que Merval produza suas Memórias Póstumas.”

Paulo Nogueira
jornalista e está vivendo em Londres. Foi editor assistente da Veja, editor da Veja São Paulo, diretor de redação da Exame, diretor superintendente de uma unidade de negócios da Editora Abril e diretor editorial da Editora Globo.

ABRA SEUS CHAKRAS



Todos os dias faço yoga.
De manhã bem cedo faço minha pratica sozinha.
Não recomendo, mas  minha profe Letícia agora é mãe da Aurora.
Então acabei me virando em casa mesmo, lembrando de suas aulas e da profe  Cleo.

A Yoga ta em alta. Continua em alta.
Há alguns meses atrás invadiu Times Square, em Nova Iorque.
Por algumas horas,  três mil nova-iorquinos fizeram suas praticas entre a Broadway e a  7a Avenida.  

E agora, no  domingo, 2 de outubro,  o Champ de Mars na Place Joffre,  em Paris,  deve se  transformar  em um  grande templo zen com  uma mega  sessão de Yoga.

São esperados dois mil parisienses  para compartilhar essa experiência única.

Taí uma idéia para o Parque dos Dick...

OS CAVACOS DE TAQUARI


Os cavacos de acácia de Taquari embarcam no “porto” da cidade e seguem até o porto de Rio Grande, onde são descarregados. Em um cargueiro japonês, os cavacos de acácia de Taquari são novamente embarcados. Em alto mar, dentro do navio, os cavacos já começam o beneficiamento por um processo químico potente.
Dizem que os resíduos dessa química são lançados ao mar. Os japoneses negam. Eu não sei de nada.  Quando os cavacos de acácia de Taquari chegam ao Japão abandonam o barco já feito pasta de celulose. O próximo passo é a transformação em papel.

Moral da história: blogues não poluem o mar e não usam papel...

SUMIU POSTAGENS?

terça-feira, 27 de setembro de 2011

VARAL EM NOVA BRAGANÇA

Os problemas principais em qualquer cidade
– independentemente do urbanismo adotado –
são a densidade demográfica excessiva,
o poder imobiliário que invariavelmente as compromete,
e a mediocridade ativa, difícil de conter.
O resto é o regime dominante que tanto as desmerece.
Oscar Niemeyer

NARA MAIA: DOADORA


Coincidências da vida...
Hoje é o Dia Nacional do Doador de Orgãos.

Ontem encontrei a artista plástica lajeadense Nara Maia.  Sempre querida, alegre e de coração generoso.
Há 22 anos doou um rim para seu irmão, engenheiro em Teutônia.
Esse gesto de solidariedade, de amor, deveria se transformar em case médico.
Tanto Nara como o irmão vivem bem, com saúde, com as funções renais preservadas  e com alta qualidade de vida.

É bom lembrar essa atitude quando se sabe que o número de pessoas que espera por um transplante chega a 36 mil no Brasil.  E que no ano passado foram realizados 21 mil transplantes, sendo a maior parte de córnea.

Já se triplicou o número de doadores de órgãos.
Passamos  de 3 mil por milhão de pessoas para 10 mil doadores por milhão.

Olhando para trás, é surpreendente o gesto de Nara, porque nem se compara as condições médicas de 1989 com as de hoje.
Algum receio na época? -  pergunto.  Nara deu risada:

“Achei muito normal como irmã, nem um segundo tive medo. Botei na cabeça que ia dar certo.  Ainda na maca, no corredor, o Jico me perguntou algo e eu respondi: não me atrapalha que tô rezando!”

Sugestão de pauta: Jerusa Jaeger

INSPIRAÇÃO: CULTURA DA BICICLETA

EM TEMPO DE BAILE DE DEBUTANTES...

Clube Tiro e Caça: 1973
(do feicibuki...)

ARTESESC CULTURA POR TODA PARTE: HOJE



“Sul”
Paulinho Cardoso e Leo Ferrarini

Um trabalho que resultou da paixão pela música instrumental
e da busca intensa por novas sonoridades. 

O projeto tem como diferencial
uma sonoridade contemporânea,
que tem sua raiz nos ritmos sulinos.

Interpretando músicas próprias e também alguns sucessos da música popular sul-americana, Paulinho Cardoso e Leo Ferrarini propõem uma viagem sonora que mescla a vibração popular do acordeon e a sonoridade erudita do piano.


Data: 27/09
Horário: 20h
Local: Teatro do SESC
Ingressos:
5 e  15 e 20 pila

CORREDOR ECOLÓGICO: DOIS PESOS, DUAS MEDIDAS


Photo by Rodrigo Martini

Leio no jornal A Hora de hoje que em Arroio do Meio, sete agricultores “rebeldes” e proprietários de terras a beira do rio Taquari foram penalizados com multas, caso descumprirem o que a lei determina:  o isolamento de 30 metros das áreas  ribeirinhas a partir do talude do rio para dar prosseguimento ao projeto Corredor Ecológico.

A multa por descumprimento é de 2 mil por hectare e 500 reais por animal encontrado no local. Mais: vão ter que recompor e cercar toda a área degradada recuperando os cem metros previstos na lei federal.

Coisas do poder.... Enquanto isso a Conpasul que detonou  com aterro as margens do rio Taquari em Lajeado vai muito bem obrigado.
Até parece que falta culhão à Justiça deste lado do rio.
Falta?

Dr. LULA DA SILVA NO PANTEÃO FRANCÊS


O ex-presidente do Brasil, Luiz Inácio Lula da Silva recebe nesta terça-feira o título de houtor honoris por conta do renomado Instituto de Estudos Políticos de Paris, o “Sciences Po”.

O brasileiro é o primeiro latino-americano a ser homenageado pela renomada instituição fundada em 1871 e que já premiou 16 personalidades ao longo de sua existência.

Conforme a instituição, Lula mudou a imagem do país.

Anônimos anti petistas devem uivar...



Por que Lula e não Fernando Henrique Cardoso, seu antecessor, para receber uma homenagem da instituição?
O presidente do Instituto de Estudos Políticos de Paris, Richard Descoings, respondeu:
O antigo presidente merecia e, como universitário, era considerado um grande acadêmico. Sciences-po é uma universidade de elite, porque nós formamos uma parte da classe política e das grandes empresas francesas.
O presidente Lula fez uma carreira política de alto nível, que mudou muito o país e, radicalmente, mudou a imagem do Brasil no mundo.
O Brasil se tornou uma potência emergente sob Lula, e ele não tem estudo superior. Isso nos pareceu totalmente em linha com a nossa política atual no Sciences-po, a de que o mérito pessoal não deve vir somente de um diploma universitário.
Na França, temos uma sociedade de castas. E o que distingue a casta é o diploma.
O presidente Lula demonstrou que é possível ser um bom presidente, sem passar pela universidade. 

DA SERIE "FUMAR REJUVENESCE..."

EM TEMPO DE CONSTRUMOBIL...


Em abril deste ano, o Museu de Arte Moderna de São Paulo realizou  uma exposição que chamou de “Morada Ecológica”, direto da Cité de l’Architecture & du Patrimoine, associação francesa focada em arquitetura.

A “Morada Ecológica” trazia mais de 50 projetos de arquitetos de todo o mundo, para refletir sobre a necessidade de preservação da natureza que vem alterando a maneira de pensar a arquitetura do século 21.

Entre os assuntos debatidos na exposição estavam o uso inteligente da energia, da iluminação e da água. Os projetos foram  exibidos em formato de vídeo e slideshow.

Marina Acayaba, colunista de arquitetura do FFW, afirma que esse tipo de pensamento de sustentabilidade é hoje imprescindível:

 “Não tem como o arquiteto pensar em projetos que não tenham uma preocupação ambiental, um planejamento sustentável. Não condiz com o mundo em que vivemos hoje, nem com a tecnologia que temos à disposição”, defende.

O MAM parece concordar com essa ideia, já que além da exposição, deve lançar o livro “Arquitetura Ecológica”.

LITERATURA NA TELINHA


Curtas-metragens estreiam nesta quinta-feira

O miniauditório do Colégio Madre Bárbara vai se transformar numa sala de cinema, nesta quinta-feira, dia 29 de setembro.
A partir das 19h30min, os filmes de curta duração, produzidos pelos alunos do 2º Ano do Ensino Médio, vão ser apresentados à comunidade escolar no Festival de Cinema Literário.

Nesta noite, o público presente e o corpo de jurados especial vão indicar os melhores vídeos, melhor ator e atriz. Nesta, que é a segunda edição do projeto, serão apresentadas adaptações de Contos Românticos para o vídeo. 


O projeto Festival de Cinema Literário é coordenado pela professora de Literatura, Grasiela K. Bublitz, e integra as atividades desenvolvidas pelo 2º Ano do Ensino Médio durante o ano letivo, tendo em vista o envolvimento e o interesse dos alunos pela atividade.

Em 2010, as alunas do 2º Ano do Ensino Médio que produziram o curta-metragem "A Cartomante" foram surpreendidas com a premiação do vídeo em um concurso nacional, do qual estavam inscritos vídeos de escolas de todo o Brasil.

O vídeo das alunas do Colégio Madre Bárbara foi o único premiado do Rio Grande do Sul.

Ass. de Imprensa: Aline Schmidt

GELTRUDES


Um anelzinho no dedo com a inscrição Geltrudes, apenas isso para dar sentido a mais uma vida que se foi entre as águas poluídas do rio Taquari.
Só que ninguém sentiu falta de Geltrudes.
Ninguém bateu na sua porta.
Ninguém chamou seu nome.
Ninguém ligou no seu celular.
Geltrudes deveria ter casa, uma família, um cachorro, um gato, um vasinho com manjericão na janela da cozinha...  
Mas como ninguém sentiu falta de Geltrudes?
Geltrudes, mulher de idade triste entre 40 ou 50 anos, de cor branca, de cabelos castanho escuro e lisos, baixinha.
Geltrudes pensa muito antes de se decidir e quando se decide por algo ninguém a demove e ela mergulha de cabeça no seu objetivo e esquece todo o resto a sua volta.
É a sina do seu nome. Assim mergulhou nas águas frias do rio Taquari.
Mas Geltrudes não tinha amigos?
Uma vizinha? Uma tia que encontrava de vez em quando para dividir suas angustias?  Ninguém visitava Geltrudes? 
Nem um atento agente de saúde que percebia seus  pensamentos doídos, a saudades dos seus 19 anos, a vontade de sentir o calorzinho de um abraço, de um elogio?
Geltrudes foi encontrada boiando no rio Taquari.
Volta para a terra, como indigente.
Até o dia que alguém apareça para reclamar se ninguém viu uma mulher que andava por aí conversando com as luzes da primavera. 
Essa mesmo: Geltrudes.