segunda-feira, 14 de fevereiro de 2011

INDEFESOS E VULNERAVEIS: OS LAJEADENSES


Um motoqueiro, entregador de pizza em Lajeado, ultrapassou entre os carros e chutou um retrovisor. A motorista guardou a placa e prestou queixa na delegacia. Era um ex-presidiário com  ficha corrida. Ela desistiu.

O rapaz da tele água?  Já vi um ex-presidiário - disse o senhor no mercadinho botando a colher no assunto entre clientes assustados com o quanto andamos vulneráveis a bandidagem.
O segurança da rua? -  cochichou um bancário: ex-brigadiano, ex-presidiário.
O guarda-noturno? – disse a mãe na pracinha: informante de bandido.
Na construção civil?  Apenados em regime semi-aberto.
Na minha vizinhança, num  raio de cem, duzentos metros, três edifícios estão sendo construídos. Os assaltos aumentaram.

Nós estamos ferrados. A insegurança é total e ainda por cima recolheram as nossas armas.

A intimidação: na sexta-feira que passou, um assaltante veio até a minha casa mostrar sua cara e avisar: estou solto, babaca.

Enquanto isso, um ex-assassino assiste aula na universidade, outro comanda radio e jornal por aí. De certo, pagaram suas dívidas com a sociedade.
Tem gente que vê assim.
Cada um com seus fantasmas. E seus medos.

11 comentários:

Anônimo disse...

Aos senhores donos da razão, para meditação! Quando um presidiário volta ao convívio na sociedade ele é discriminado e não tem como evitar. Porque? Porque a sociedade ñ vê com bons olhos pessoas que passaram por este problema. Se vc está preso, ou esteve no "casarão", vc está marcado (não digo para sempre), mas está marcado... Agora ao "voltar" será discriminado. Ponto. Não obstante, o ex-bandido pagou o preço do seu crime e merece uma nova chance, quem não compreende isto deveria ser preso por ignorância, porque maior crime é não acreditar nas pessoas que a "sociedade" reabilitou (não importa que método foi utilizado para a conversão do infrator). Quem viu o filme Um Sonho de Liberdade deve lembrar do papel do Morgan Freeman, um presidiário que amargou mais de trinta anos na penitenciária, e agora por fim ganhava a liberdade, quando ele diz o seguinte: "Aquele menino que eu era (quando ele era jovem foi preso por assassinato), há muito tempo o procuro dentro de mim, mas ele não existe mais..." Acredito que muitos homens e mulheres que passaram por esta experiência e hoje ao serem "reintegrados" depois de 05, 10 ou 20 anos presos tem a mesma condição interna, "aquela pessoa que foi presa há tantos anos atrás, NÃO EXISTE MAIS, e esta pessoa que aqui está, MERECE UMA NOVA CHANCE...

Ismael Caneppele disse...

qual o problema de um ex presidiário voltar a trabalhar? não é o que se espera dele?

Laura Peixoto disse...

Sim, Ismael, a gente espera q um ex-presidiário trabalhe.
Mas q ñ chute retrovisor por aí, q não saia da cadeia e venha intimidar as vítimas,
q não se aproveite da construção para praticar assaltos nas redondezas, q não use sua função de entregador de gás ou água para ver como funciona os portões das casas...
Ninguém ta posando de bacana.
Ta mundo encagaçado mesmo. Revolver na cabeça não é fácil.

Ismael Caneppele disse...

Se gentileza gera gentileza havemos de concordar que os dois lados estão doentes.

JORGE LOEFFLER .'. disse...

Pois é Laura um anônimo deu uma verdadeira aula de com reintegrar um bandido. Gostaria eu de saber se ele empregaria um egresso do sistema prisional que temos em sua empresa? Se colocaria um destes dentro de sua casa para prestar algum reparo sabendo que o nível de reincidência que temos é dos mais elevados do mundo? De bandido entendemos eu e o teu irmão. Eles só conhecem uma linguagem que é que eu sempre empreguei com eles. Cana dura! Pode ser regenerado aquele que face uma necessidade maior tenha passado um cheque voador, mas quem armado roubou ou matou, não tem volta. Recupera-se aquele que matou em legítima defesa, mas quem matou para roubar não tem recuperação. Esses que deitam falação nunca entraram numa cadeia e nunca viram um bandido de perto. Eles só conhecem uma língua, a do mais forte. Volto a dizer cana neles e estamos conversados. E houve e continua a haver casos que só matando. Como era bom quando reagiam armados. Não davam mais despesa à sociedade. Tenho saudade dos meus tempos na ativa. Ainda ontem um bandido matou o próprio pai aí na região com uma paulada. Um homem com cerca de 70 e dormindo. Isso é recuperável? Por certo vão dizer que o coitadinho não sabia o que fazia. Conversa fiada. Não defendo a pena de morte, pois um erro não pode ser reparado, mas a prisão perpétua é necessária.

Mariá disse...

aproveitando o último parágrafo "cada um com seus fantasmas. E seus medos", quero alertar para os serviços de moto-boy no segmento de alimentos. Vocês já perceberam o que levam estas caixinhas durante o dia??? e a noite para a sua mesa???

Antônimo disse...

Classificação do texto do anônimo: UTOPIA.

Anônimo disse...

Quem é que em sã consciência daria emprego dentro de sua casa ou estabelecimento á um ex detento ?
Bem capaz que o cara acima q defende a reintegração , deixaria uma filha sua ou um parente próximo dormindo e um ex bandido de segurança na porta...
Bandido é bandido e a prova é os chutes nos retrovisores , informantes e todos acima citados..
1% se regenera e olha lá....
Bandido faz o q quer por dois motivos..:
O pessoal dos Direitos humanos e a Polícia corrupta..
Assistindo Tropa de Elite 2 se vê bem como funciona o troço todo...
Essa de dar força a bandido da pesada é coisa de intelectual q quer aparecer e pagar de bonzão..

fran disse...

tenho mto mais medo dos criminosos que ainda não foram presos. e que roubam em boleto.

Alexandre Luiz disse...

Pelos comentários acima, creio que estamos chegando no fim do tunel. Muito triste,é o fim dos tempos.

Anônimo disse...

Medo maior é dos que andam rondando a casa da gente de boné virado e falando a cada frase : Tá Ligado...